«Uma verdadeira educação inclusiva é aquela em que o educador cria contextos educativos onde cada criança encontra a estimulação de que necessita para progredir, não perdendo de vista nenhuma criança e respondendo a todas elas »
Gabriela Portugal

Aqui pode encontrar o nosso Portfólio das atividades que desenvolvemos, as razões da sua realização, os progressos das crianças durante a permanência no Jardim de Infância, ate à entrada no 1º CEB

______________________________________________________

ATIVIDADES PARA OS TEMPOS LIVRES

(clica em cima do nome do ficheiro e joga)

JOGOS EDUCATIVOS
BIBLIOTECA DO GIGANTE , SITE DE JOGOS
SITIO DOS MIUDOS
, ATIVIDADES EDUCATIVAS, CAMINHO DAS LETRAS , RISCOS E RABISCOS
APRENDER A RECICLAR , JOGAR COM DADOS
BOB, RUCA, DINOSSAUROS, CARROS
QUADRO MAGNÉTICO, SUDOKU DAS CORES
JOGO DOS DENTES

domingo, 20 de novembro de 2016

5ª feira, dia sem rotina semanal

O tempo educativo é composto por rotinas, tempos pré definidos em que as crianças antecipam o que vai ser feito ( ex: o acolhimento, o preenchimentos dos diversos quadros, a avaliação no final do dia ...) e  momentos de carácter  mais livre e flexível, de livre escolha onde cada uma decide a atividade que quer desenvolver  nos diversos espaços /áreas da sala. 

Da oferta educativa, da riqueza das propostas disponíveis, da variedade de materiais e jogos depende a qualidade das aprendizagens das crianças.

Exemplos de atividades desenvolvidas em tempo de livre escolha:














Porque o espaço exterior é igualmente um espaço educativo, estamos a construir uma cozinha.



«O espaço exterior é um local privilegiado para atividades da iniciativa das crianças que, ao brincar, têm a possibilidade de desenvolver diversas formas de interação social e de contacto e exploração de materiais naturais (pedras, folhas, plantas, paus, areia, terra, água, etc.) que, por sua vez, podem ser trazidos para a sala e ser objeto de outras explorações e utilizações. É ainda um espaço em que as crianças têm oportunidade de desenvolver atividades físicas (correr, saltar, trepar, jogar à bola, fazer diferentes tipos de jogos de regras, etc.), num ambiente de ar livre. 

Estas múltiplas funções do espaço exterior exigem que o/a educador/a reflita sobre as suas potencialidades e que a sua organização seja cuidadosamente pensada, nomeadamente no que se refere à introdução de materiais e equipamentos que apelem à criatividade e imaginação das crianças e que atendam a critérios de qualidade, com particular atenção às questões de segurança.»

In, OCEPE, abril 2016.


Nenhum comentário:

Postar um comentário